⚠️ATENÇÃO⚠️
Essa página pode sair do ar a qualquer instante pelas informações reveladoras que ela contém. Infelizmente, há uma indústria que lucra milhões com a desinformação da população. Por isso, leia as informações aqui contidas o quanto antes.
Informação é PODER!

ANSIEDADE & DEPRESSÃO:


VOCÊ ESTÁ SENDO ENGANDA!


Descubra o que a indústria farmacêutica esconde de você sobre a Ansiedade e a Depressão e como você pode superar estes transtornos de forma natural!


Caro leitor(a),

Se você chegou até aqui você deve ser uma das milhares de pessoas que sofre com os sintomas da ansiedade e da depressão ou deve conhecer alguém que se encontra nesta condição debilitadora.

O que estou prestes a revelar à você é fruto de uma extensa pesquisa sobre a depressão. Todos os fatos aqui apresentados poderão ser pesquisados por você mesma caso deseje.

Se você quer realmente sair da bolha de desinformação criada pela mídia e pelas empresas farmacêuticas que as financiam através da publicidade, leia tudo que irei lhe apresentar aqui.

Afinal, Ansiedade e Depressão são doenças?

Tanto o termo ansiedade como depressão são palavras utilizadas para um conjunto de sintomas específicos apresentados pelo paciente em um determinado período de tempo.

De acordo com a DSM-5 (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais), que é a "bíblia" da medicina psiquiátrica, existem diversas categorias para o transtorno depressivo.

Porém, os transtornos depressivos se diferenciam de outras doenças como uma diabetes, um câncer ou uma úlcera, pois não existe nenhum tipo de exame biológico para determinar se uma pessoa tem depressão ou não.

Para diagnosticar a diabetes, você realiza um exame de sangue.

Para diagnosticar um câncer, você realiza uma biópsia.

Para diagnosticar uma úlcera, você realiza uma endoscopia.

Mas, e com a ansiedade e a depressão? Como é feito o diagnóstico?

É feito através de um questionário do psiquiatra sobre o relato dos sintomas do paciente, ou seja, depende da interpretação do profissional de saúde sobre as respostas dadas pelo mesmo.

A Teoria da Indústria Farmacêutica

Você já deve ter escutado que a causa da depressão pode estar associada ao desequilíbrio químico no cérebro.

Na verdade, esta é apenas uma teoria sobre as causas da depressão que foi amplamente divulgada por pesquisas financiadas pela indústria farmacêutica.

Nesta teoria, coloca-se a causa dos sintomas no desequilíbrio de um neurotransmissor no cérebro chamado serotonina.

Uma vez que há um "inimigo" químico definido, a indústria farmacêutica consegue então, criar um medicamento para combater este desequilíbrio faturando alguns milhões de reais.

E, uma vez que o problema está no cérebro, a solução dada por essa indústria é que você se torne um cliente tomando o medicamento por toda a vida.

Porém, pesquisas recentes como eu lhe mostrarei a seguir não sustentam esta teoria.

Além disso, se esta fosse a grande causa dos sintomas da depressão, bastasse realizar um exame de sangue ou uma ressonância cerebral para diagnosticar com objetividade o transtorno depressivo, o que não acontece com nenhum paciente. Algo óbvio, não é?

A teoria do desequilíbrio químico como causa da depressão é, portanto, uma grande mentira criada e financiada pela indústria farmacêutica que mais lucra com este mal.

O Problema dos Antidepressivos

Além do alto custo dos medicamentos antidepressivos (o mais popular custa em média R$200 por caixa com 30 comprimidos), eles podem causar inúmeros efeitos colaterais que incluem inclusive o aumento dos sintomas da depressão e pensamentos suicidas em alguns casos!

A indicação de tais medicamentos também é feita por tentativa e erro pelos médicos psiquiatras, justamente pela falta de um exame biológico que determine o que está realmente acontecendo com o paciente.

A sua eficácia também já foi contestada por inúmeras pesquisas independentes, sugerindo que os casos de melhora acontecem devido ao efeito placebo criado pela autoridade médica e pela crença de que aquele medicamento pode ajudar.

Além disso tudo, os antidepressivos atuam diretamente na química cerebral podendo ocasionar um verdadeiro desequilíbrio na homeostase cerebral.

Como nosso organismo busca sempre o equilíbrio, o cérebro começa a se adaptar com o constante estímulo químico, fazendo com que o paciente se torne viciado em tal medicação.

Caso isso aconteça, é muito comum que depois de um tempo de uso, a medicação pare de fazer efeito, fazendo com que a pessoa tenha que aumentar a dose, fortalecendo ainda mais o vício.

E se algum dia a pessoa queira parar de tomar tal medicação, muito provavelmente enfrentará também os fortes sintomas da síndrome de abstinência, muito conhecido por usuários de drogas pesadas.

Os Efeitos Colaterais

Além disso, se você ler uma bula de qualquer medicamento antidepressivo, você encontrará mais de 100 possíveis efeitos colaterais.

Alguns inclusive podem aumentar tanto a intensidade de depressão, como o risco de suicídio.

Veja só a lista de alguns efeitos colaterais da Sertralina que é um dos medicamentos mais populares:

Boca seca, sudorese (aumento do suor), tontura, tremor, diarreia, fezes amolecidas, dispepsia (digestão difícil), náusea (enjoo), anorexia (falta de apetite), insônia, sonolência e alteração da função sexual, principalmente atraso na ejaculação, leucopenia (redução do número de leucócitos, os glóbulos brancos de defesa do sangue) e trombocitopenia (diminuição das plaquetas), palpitações e taquicardia (aumento da frequência cardíaca), tinido (zumbido no ouvido), hiperprolactinemia (aumento da concentração do hormônio prolactina no sangue), hipotireoidismo (diminuição da produção do hormônio da tiroide), síndrome da secreção inapropriada de hormônio antidiurético (ADH), midríase (dilatação das pupilas) e visão anormal, dor abdominal, constipação (intestino preso), pancreatite (inflamação no pâncreas), vômito, astenia (fraqueza), dor no peito, edema periférico (inchaço nas extremidades do corpo), fadiga (cansaço), febre e mal-estar, eventos hepáticos graves (incluindo hepatite – inflamação do fígado, icterícia – coloração amarelada da pele e mucosas, e disfunção hepática) e elevações assintomáticas das transaminases hepáticas (elevação dos níveis das enzimas do fígado), reação alérgica, alergia, reação anafilactoide (reação alérgica grave), resultados clínicos laboratoriais anormais, função plaquetária alterada, aumento do colesterol do sangue, diminuição do peso, aumento do peso, aumento do apetite e hiponatremia (diminuição dos níveis de sódio no sangue), artralgia (dor nas articulações), cãibras, coma, convulsões, dor de cabeça, hipoestesia (diminuição da sensibilidade), enxaqueca, distúrbios motores (incluindo sintomas extrapiramidais, tais como, hipercinesia - atividade muscular excessiva, hipertonia - tensão muscular, ranger de dentes e distúrbios da marcha), contrações musculares involuntárias, parestesia (alteração da sensibilidade como, por exemplo, formigamento), síncope (desmaio), agitação, confusão, diaforese (aumento da transpiração), diarreia, febre, hipertensão (pressão alta), rigidez, taquicardia e alteração no eletrocardiograma, reações agressivas, agitação, ansiedade, sintomas de depressão, euforia, alucinações, diminuição da libido (desejo sexual) feminina e masculina, paroníria (perturbação do sono), psicose (distúrbio mental), enurese, incontinência urinária e retenção urinária, galactorreia (secreção de leite), ginecomastia (aumento das mamas no homem), irregularidades menstruais e priapismo (ereção persistente e dolorosa do pênis), broncospasmo (contração dos brônquios e bronquíolos), bocejo, alopecia (perda de cabelo), angioedema (inchaço de origem vascular), edema facial (inchaço da face), edema periorbital (inchaço ao redor dos olhos), reação na pele devido à sensibilidade à luz, prurido (coceira), púrpura (extravasamento do sangue para fora dos capilares da pele ou das mucosas formando manchas na pele), equimose (manchas roxas no corpo), rash (incluindo casos raros e graves de distúrbios esfoliativos da pele, por exemplo, síndrome de Stevens-Johnson e necrólise epidérmica) e urticária, sangramento anormal (tais como epistaxe - sangramento das fossas nasais, sangramento gástrico e hematúria - sangue na urina), rubor (vermelhidão), hipertensão (pressão alta) e fratura óssea, e até hemorragias fatais.

A Verdade Revelada

Em um novo e recente estudo sobre a depressão, o pesquisdor Richard Border do Institute for Behavioral Genetics da Universidade do Colorado, concluiu também que a depressão NÃO TEM nenhuma ligação com os genes, ou seja, não tem nenhum determinante genético ou hereditário. (Revista Galileu, 22 de Maio de 2019).

Mesmos Sintomas, Cérebros Diferentes

Em uma outra pesquisa realizada pelo psiquiatra Daniel Amen, chegou-se a conclusão de que duas pessoas que apresentam os mesmos sintomas de depressão podem ter funcionamento cerebrais totalmente diferentes como mostra a imagem do cérebro de dois pacientes diagnosticados com depressão logo abaixo:

Essa pesquisa por si só já derruba a teoria de que o desequilíbrio químico do cérebro é o grande causador da depressão. Infelizmente, você encontrará também na Internet imagens similares à esta dizendo que um cérebro é de uma pessoa saudável enquanto que o outro é de uma pessoa com depressão. Este tipo de desinformação pode levar uma pessoa que não conhece esta pesquisa ao erro, pois a grande verdade é que qualquer pessoa saudável emocionalmente ou não pode apresentar qualquer um dos cérebros acima.

A Real Causa da Ansiedade e da Depressão

Agora você deve estar se perguntando:

Se a causa da depressão não é o desequilíbrio químico no cérebro e nem está relacionado à genética, então o que acontece comigo?

Talvez a resposta não lhe agrade muito, mas ela traz soluções e novas possibilidades para mudar e superar este transtorno.

A grande causa, não só da depressão, mas como da maioria dos transtornos emocionais é justamente a INABILIDADE de lidar com as emoções de forma saudável e adequada.

Infelizmente, ninguém lhe ensinou quando criança como lidar com suas emoções e com seus pensamentos de forma saudável.

Isso fez com que situações comuns do dia a dia causassem cada vez mais estresse gerando raiva, medo ou tristeza.

Além disso, o sentimento de frustração para lidar com situações cada vez mais comuns afetou também as crenças que você tem sobre si mesmo, desconectando você da sua verdadeira Essência.

A crença de não ser merecedora, de não ser capaz, de não ter uma utilidade faz com que você não se sinta merecedora, não se sinta capaz e não se sinta útil.

E esta é a grande combinação de pensamento e sentimento que, repetido e vivenciado diariamente, faz com que os sintomas da depressão se tornem crônicos.

Basta então apenas um estímulo estressante intenso, como a morte de um ente querido, a perda do emprego, ou uma separação para desencadear o transtorno em si.

Mas a causa já estava presente muito antes da situação estressante.

A ignorância para com as próprias emoções e pensamentos.

Mas fique tranquila que a culpa não é sua e há uma solução!

A culpa também não é dos seus pais que provavelmente também não sabiam lidar com suas próprias emoções e pensamentos.

A Solução Definitiva!

Agora que você já sabe que a real causa dos seus sintomas não é o desequilíbrio químico no cérebro e nem a sua genética, ou seja, você não nasceu com a depressão, me permita dizer qual é então a solução definitiva para sua questão: Educação Emocional!

Aprender a lidar com suas emoções e também com seus pensamentos de forma saudável e harmônica.

Mas como fazer isso?

Terapia é um dos caminhos, desde que o profissional saiba aplicar exercícios práticos e vivenciais para ensinar você a lidar com suas emoções.

A limitação da terapia é que você não pode estar acompanhado 24 horas por dia de um profissional para guiá-la nos momentos mais críticos da sua vida.

E qualquer aprendizado só é eficiente quando ocorre na prática diária.

Uma Outra Alternativa

Como complemento à terapia, deixe-me oferecer a minha solução...mas antes, deixe-me apresentar primeiro.

Meu nome é Saulo Fong e sou terapeuta psico-corporal com diversas formações na área do desenvolvimento pessoal e autoconhecimento.

Desde 2005, já ajudei milhares de pessoas através das inúmeras atividades que ofereço online e presencialmente no Instituto União em São Paulo.

Foi neste mesmo ano que desenvolvi juntamente com minha sócia o processo Despertar do Amor que já transformou a vida de mais de 20 mil pessoas.

O que é o Processo Despertar do Amor?

É um produto composto por 2 arquivos de AUDIO que são baixados diretamente da Internet para o seu computador.

O primeiro audio (Relaxamento Induzido) é do que um exercício de auto-hipnose e meditação que tem o objetivo ajudar você a entrar em contato consigo mesma e alterar crenças limitantes com relação à sua autoestima, confiança e merecimento. Utiliza também conceitos da programação neurolinguística e do trabalho de constelação familiares. Este audio atua na sua mente consciente.

O segundo audio (Subliminar) é composto por uma melodia musical com mensagens subliminares auditivas, ou seja, frases em um volume bem abaixo (que não são compreendidos pela mente consciente) para estimular diretamente a sua mente inconsciente.

O processo consiste em escutar ambos os audios integralmente por pelo menos 21 dias consecutivos.

O Despertar do Amor parte do pressuposto de que uma crença é instalada pelo processo de ideia mais repetição.

Você se condicionou a lidar com as emoções e pensamentos de uma determinada maneira que promove os sintomas da depressão.

Agora é preciso que você aprenda um novo caminho para lidar de forma saudável com você mesmo. Para isso é necessário que você estimule uma nova atitude diariamente.

Mas Funciona?

O Despertar do Amor foi criado em 2005 e desde então já ajudou mais de 20 mil pessoas no Brasil, nos Estados Unidos, em Portugal e no Japão.

Até hoje recebo e-mails e comentários como os abaixo de pessoas que sofriam de depressão e se beneficiaram com o processo:

Esses são apenas alguns dos milhares de depoimentos e comentários que já recebi sobre o Despertar do Amor. Acredito que já deu para você ter uma ideia do potencial deste arquivos de audio.

Estas pessoas são provas vivas de que este trabalho funciona e que me motivam a continuar divulgando esta ferramenta.

Você não encontrará nada igual na Internet.

Há pessoas que tentam copiar, mas não sabem que inúmeros fatores fazem deste trabalho único, como por exemplo, tom de voz, velocidade da condução, além das palavras e dos princípios utilizados em uma composição única.

E quanto custa?

O investimento para adquirir os 2 audios do Processo Despertar e baixá-los no seu computador agora tem se mantido o mesmo desde 2011 sem nenhum reajuste.

Hoje o investimento é de apenas:

12 parcelas de R$19,19

ou

R$197,00 à vista

O investimento é único e você não precisará pagar mais nada pelo Despertar do Amor

O pagamento pode ser realizado por cartão de crédito ou boleto bancário.

É mais barato do que qualquer caixa de medicamento para ansiedade ou depressão, mas sem os efeitos colaterais de tais medicamentos!

QUERO MELHORAR >>>

E Se Não Funcionar Comigo?

Caso você não goste do material ou não tenha nenhum resultado com o processo, você poderá solicitar o cancelamento da sua compra em até 30 dias após a aprovação do seu pedido que todo dinheiro será devolvido integralmente.

A Decisão É Sua!

Agora é o seu momento de tomar uma decisão!

Nesta página lhe forneci todas as informações essenciais para que você tome a melhor decisão com consciência e segurança.

Você pode negar todos os fatos que apresentei aqui e continuar gastando seu dinheiro mensalmente com medicamentos que apenas encobrem a verdadeira causa da sua depressão...

ou...

Comprar o Processo Despertar do Amor, com uma garantia incondicional de 30 dias, e colocar em prática uma ferramenta que já foi TESTADA e COMPROVADA por mais de 20 mil pessoas e está no mercado há mais de uma década!

QUERO MELHORAR >>>